Entre fetichismo e sobrevivência: o artigo científico é uma mercadoria acadêmica?

Compartilhe!

Discutem-se possíveis significados da intensa preocupação vigente nos âmbitos acadêmicos com a idéia de produtividade em pesquisa que se reflete em um excesso de artigos publicados em várias revistas científicas. A contabilização numérica de artigos publicados por investigadores em revistas científicas de reconhecido status acadêmico serve para legitimar acadêmicos nos seus campos de atuação de várias formas. Nesse sentido, sugere-se que o artigo científico assume aspectos de mercadoria como fetiche, segundo a teorização do valor de uso/valor de troca de Marx e do valor de exposição de Benjamin. Ao mesmo tempo, utilizam-se as idéias biológicas de seleção/evolução como elementos metafóricos constitutivos do "darwinismo bibliográfico". Há referências quanto à possibilidade de grande parte das preocupações bibliométricas vigentes servirem como instrumentos de análise econométrica para, sobretudo, orientar e aperfeiçoar análises de custo-efetividade em investimentos em pesquisa de várias ordens e tipos sob o ponto de vista de seu retorno econômico.

Tipo de Documento: 
Instituição Editora: 
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca
Autor ou Criador: 
Luis David Castiel
Javier Sanz-Valero
Red MeI-CYTED
Citação: 

CASTIEL, Luis David; SANZ-VALERO, Javier; MEI-CYTED, Red. Entre fetichismo e sobrevivência: o artigo científico é uma mercadoria acadêmica?. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.23, n.12, p.3041-3050, dez. 2007.

Ano de Publicação do documento: 
2007
Compartilhe!