A anomalia da política de ciência e tecnologia

Compartilhe!

Na periferia do capitalismo, a política de ciência e tecnologia (PCT) resulta de duas dinâmicas. A primeira, de natureza genérica, é inerente à sua qualidade de política pública e pode ser encontrada "em estado puro" nos países avançados e é responsável pela anomalia de sua PCT. A segunda dinâmica, específica de países periféricos, imprime à PCT uma atipicidade: os atores envolvidos na sua implementação, em virtude do respectivo contexto socioeconômico e político, manifestam comportamentos sistematicamente divergentes daqueles observados e modelizados nos países avançados. O artigo argumenta que tal anomalia tem sua origem nos mitos da neutralidade e do determinismo da tecnociência que a acompanham desde quando o Estado decide influenciar a mudança tecnológica e a formação de pesquisadores.

Tipo de Documento: 
Instituição Editora: 
Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS)
Autor ou Criador: 
Renato Dagnino
Citação: 

DAGNINO, Renato. A anomalia da política de ciência e tecnologia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v.29, n.86, p. 45-55, out. 2014.

Ano de Publicação do documento: 
2014
Compartilhe!