Ter a produção da Fiocruz disponível em acesso aberto tem impacto em várias esferas, diz Ana Maranhão

Compartilhe!

Por Juliana Reis 

Na semana do Acesso Aberto, entrevistamos Ana Maranhão, coordenadora do Arca repositório institucional da Fiocruz, segue a entrevista.
 
Observatório CTIS - O Arca, repositório institucional da Fiocruz, está com novas funcionalidades, quais são elas? 
Além de ajustes internos, que uma nova versão sempre traz e nem sempre visíveis ou perceptíveis ao usuário comum, como melhorias para que o Google Scholar indexe de forma mais adequada os conteúdos do repositório, nesta versão é possível incluir um documento informando apenas o número DOI, e automaticamente são carregadas as informações de título, autor, data outra funcionalidade interessante é a inclusão da consulta online ao diretório Sherpa-ROMEO para verificar a política do editor de determinado periódico, informando se podemos disponibilizar o artigo imediatamente ou se devemos obedecer a um período de embargo.
 
Observatório CTIS - No artigo de revisão, publicado na F1000 Research, The academic, economic and societal impacts of Open Access: an evidence-based review”  os autores descrevem os impactos acadêmico, econômico e societal do acesso aberto, na sua opinião, quais são os impactos do Arca? 
Ter a produção da Fiocruz disponível em acesso aberto tem impacto em várias esferas. De forma resumida, inicialmente, podemos falar do impacto na própria instituição que passa a ter um instrumento em que visualiza sua produção de maneira organizada; impacto para pesquisadores, já em escala mundial, que podem não só acessar os trabalhos disponíveis, mas também, conhecer quais pesquisadores da Fiocruz estão envolvidos em quais pesquisas e daí surgirem novas parcerias e, seguindo  na mesma linha, dar visibilidade aos nossos pesquisadores e a instituição e ao que estamos produzindo; para a população em geral, que obviamente,  não consome uma tese de doutorado, enquanto informação, mas para outros profissionais nas áreas de serviços e governamental, por exemplo.
  
Observatório CTIS - Quais são os principais desafios para o Arca na construção da Ciência Aberta? 
Em uma instituição tão diversificada como a Fiocruz, precisamos inicialmente conhecer os tipos de dados brutos que são produzidos aqui, como armazená-los e descrevê-los de forma adequada, para que possam ser recuperados, se podem ser disponibilizados em acesso aberto ou se, por questões éticas, alguma ou toda a informação deve ser mantida fechada.
Será um dos próximos passos do Arca, tendo em vista o potencial que este tipo de informação apresenta para o avanço da ciência e para inovação, mas temos um caminho ainda a percorrer.
 

Tipo de em foco: 
Compartilhe!